remuneracao

A Remuneração pode trabalhar com a nova moeda do mercado: significados

“Se você quer construir um navio, não chame as pessoas para juntar madeira, nem lhes atribua tarefas e trabalhos, mas ensine-as a desejar a infinita imensidão do oceano”, a frase é de Antoine de Saint-Exupéry, escritor que ficou famoso pela obra “O pequeno príncipe”.

Independentemente do tempo em que você está no mercado de trabalho, já deve ter conhecido muita gente que só “junta madeira”. Pessoas tão preocupadas com as ações do dia a dia, que se esquecem de criar uma perspectiva para aquilo que fazem, e o pior de tudo: passam a vida inteira achando que o propósito do navio acaba no porto, e não no imenso oceano.

Para completar essa citação, há uma diferença curiosa entre os significados da palavra “trabalho” em latim, que deriva de um instrumento de tortura (o tripalium) e em grego, que significa obra, ou aquilo que você faz, constrói, onde você se vê.

Perceba que esse dilema, entre aqueles que apenas juntam madeira e os que desejam o oceano, já é bem antigo!

É de se esperar, então, que nos deparemos com esses dois perfis dentro das empresas e, (agora, sendo bem polêmica nessa constatação) não é de todo mal que haja essa diferença! Nós precisamos de visionários e sonhadores, do mesmo jeito que precisamos dos “agoristas”. Não há um certo e um errado.

Eu enxergo um grande privilégio na oportunidade que o RH tem de lidar com esses dois retratos, porque isso dá fôlego para “envisionar”* pessoas, e também para se deixar motivar, constantemente.

Diante de tudo isso, sabendo que para uma parcela, cada vez maior de pessoas que encaram os significados como uma nova moeda de troca, a Remuneração deve abraçar isso como uma aliada. Um terreno a ser explorado.

Se você parar para pensar, o salário sempre teve um significado. Nunca foi só dinheiro pelo dinheiro. Ele representa uma recompensa, um reconhecimento, um empoderamento social.

Essas são questões que nos acompanham há muito tempo, a questão é que, agora, as pessoas estão mais conscientes disso. Com o passar dos anos, conseguimos quantificar e denominar o que são e qual a importância dos significados na nossa vida.

Refletir sobre esse tipo de coisa é fundamental, porque trabalhar com Remuneração, visando apenas os números e o dinheiro envolvido, é juntar madeira. Se você deseja começar a desbravar um oceano inteiro, precisa abrir seu leque de repertório.

Para isso, quero deixar quatro dicas para você aproveitar seu tempo no Youtube e aguçar seu faro para aquilo que os gregos chamavam de obra:

E você, tem alguma recomendação para aumentar esta lista? Deixe seu comentário aqui embaixo!

*envisionar: termo que aprendemos com Josué Campanhã, neste podcast.

Fernanda Futada
Comunicação e Marketing 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido. Os campos marcados com * são obrigatórios.

Fazer um comentário *

Nome *

E-mail *

Site