Carreira Y: A estratégia das empresas para reter especialistas de alta performance

4 questões para tornar o programa de PLR/BÔNUS mais forte
03/08/2016
O que a sua empresa pode aprender com os Jogos Olímpicos
18/08/2016

João, 37 anos, engenheiro no setor de autopeças e funcionário há 12 anos na mesma empresa. Excelente especialista – o que constantemente tem sido mencionado nas reuniões junto à gestão.  Mas, por que ele não está tão satisfeito? João tem pensado em quais são seus próximos passos dentro da companhia e está ansioso por um reconhecimento que vá além desses elogios casuais. O que ele não sabe é que esse mesmo sentimento é compartilhado pela empresa, que quer sim promovê-lo. Só que ela não tem um plano de cargos e salários muito flexível e a sua única opção, para galgar novos rumos na carreira do colaborador, está restrita a fazer dele um gestor.

O ponto é que João não tem o perfil para isso e a questão que assombra a organização é: como eu posso manter esse excelente especialista engajado e com performance alta sem riscos de ganhar um péssimo gestor, caso a promoção seja o meio escolhido para recompensar?

Você já viu esse filme antes? Pois bem, esse enredo tem duas opções clássicas para o fim: promover João, perder um grande especialista e ganhar um péssimo gestor, ou mantê-lo eternamente na mesma função, porém frustrado por não alcançar um posto maior. Certo? Não é bem assim, vejamos.

O que está acontecendo com João é realidade na vida de muitos profissionais e em grande parte é resultado da falta de planejamento e reconhecimento por parte da própria empresa que não cria programas para atrair, e principalmente, reter colaboradores iguais a ele – que tem anos de casa, está alinhado com a cultura da companhia e já entregou e entrega excelentes resultados para o negócio.

A grande dúvida agora é: ser gestor ou seguir em uma trilha de especialista?

A saída para a empresa de João e a melhor alternativa para o final deste filme é a essência da carreira em Y. Ou seja, um modelo de carreira que dá às organizações maior flexibilidade para promover e administrar os profissionais com perfis de liderança em cargos de gestão e, ao mesmo tempo, promover potenciais talentos sem perfil de liderança em carreira de especialista, seja na área técnica ou administrativa, assim como ele.

Para garantir o sucesso na implantação e manutenção de um modelo de carreira em Y, as organizações têm que trabalhar na essência do sistema, ou seja, na equidade, onde os especialistas deverão ser tão reconhecidos quanto os gestores, isto inclui status, remuneração e benefícios.

Para mostrar todo este cenário da carreira Y, ainda mais em um momento como o atual em que as empresas não podem cogitar perder seus colaboradores em potencial, a Carreira Muller realizou o estudo ‘Carreira Y 2016’ com mais de 13 mil profissionais atuantes em carreira Y em 66 organizações espalhadas por todo o Brasil, e levantou as principais ações utilizadas pelo mercado para essa atração e retenção de bons profissionais, como o João.

O estudo apontou que as empresas que investem na carreira Y oferecem aos colaboradores, por exemplo, planos de sucessão, programas de qualidade de vida, benefícios, bolsas de estudos, entre diversas outras ações. “A flexibilidade de poder oferecer, de maneira estruturada, rumos específicos para técnicos e gestores alinhados aos seus respectivos potenciais, perfis e expertises, assegura as organizações o sucesso no recrutamento (atração), motivação e retenção dos talentos”, aponta o responsável pelo estudo e Diretor na Carreira Muller, Marco Schanoski. Ele comenta que é claro que as pessoas continuarão a deixar seus empregos, por isso tão importante quanto atrair potenciais talentos é preciso mantê-los, isto porque quando perdemos um potencial talento, perdemos não só o tempo e recursos investidos na contratação, mas também perdemos capital humano uma vez que o profissional leva consigo toda a capacidade, conhecimentos, competências, atributos e experiência profissional adquirida na organização.

Ficou interessado e quer saber como o mercado está lidando com os diversos profissionais como o João em carreira Y? Confira o estudo desenvolvido pela Carreira Muller que apresenta os indicadores, práticas e remuneração paga a estes talentos que hoje atuam seja nas áreas técnicas ou administrativas.

Carreira Muller | Construindo Sentidos

 

2 Comentários

  1. diego romero disse:

    Oi pessoal
    Esse site é mesmo surpreendente, queria dar os parabéns pelo trabalho de vocês.
    Sempre é bom obter novos conhecimentos, obrigado 😉

    • Carreira Muller disse:

      Olá Diego!

      Ficamos felizes em contribuir para o seu crescimento profissional.
      Obrigado por acompanhar nossas publicações!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Assine a nossa newsletter

X