Quartil, média e mediana: o que é e quais as diferenças

Quartil, média e mediana: o que é e quais as diferenças

Vivemos atualmente no que os especialistas denominam de a Era da Informação. Há uma busca constante por novos avanços tecnológicos e por métodos para coleta de dados relevantes. Nesse cenário, ganha protagonismo a estatística, uma das áreas responsáveis por transformar dados em informação. 

A estatística nada mais é que o braço da matemática que estuda a coleta, a organização e a análise dos dados. Por meio dos seus métodos, é possível compreender os fenômenos que rodeiam os mais diversos segmentos da sociedade, bem como ter respaldo para tomar decisões. Inclusive – e muito importante! – na Remuneração. 

No conteúdo de hoje, vamos abordar as principais dúvidas relacionadas à estatística no âmbito da Remuneração: o que é quartil, média e mediana. Confira!

O que é um quartil?

Os quartis são valores que dividem uma amostra de dados em quatro partes iguais e são usados para avaliar a dispersão e a tendência central de um conjunto de dados. Imagine uma reta de 0 a 100%, com etapas intermediárias de 25%, 50% e 75%. 

  • O primeiro quartil, também chamado de inferior, é o valor da posição central entre o primeiro termo e a mediana. Indica que, até seu valor, há 25% dos dados;
  • O segundo quartil, conhecido por mediana, é o valor até 50% da amostra ordenada;
  • O terceiro quartil, também chamado de superior, é o meio do caminho entre a mediana e o último termo. Indica que, até seu valor, há 75% dos dados.

Para facilitar o entendimento, vamos imaginar o cargo de Abastecedor de Produção. Você acessa sua pesquisa salarial e os resultados do salário-base são:

  • 1º quartil: R$ 1.630,00
  • Mediana: R$ 2.023,00
  • 3º quartil: R$ 2.365,00

Na ConsultaSalarial®, reunimos todas as amostras que temos no mercado nacional para esse cargo e ordenamos da menor para a maior. A mediana é o ponto central de todas as amostras elencadas e o primeiro quartil aparece quando encontramos a amostra que está bem no meio entre o menor valor e a mediana. 

Se temos 100 amostras, a mediana será a número 50 e o primeiro quartil é aquele que está na posição 25. Vale reforçar que a mediana NÃO é a média, mas sim um posicionamento. Isso permite que os extremos sejam eliminados (25% dos valores menores e 25% dos maiores) e a remuneração do cargo acabe transitando entre essa faixa central. 

Um profissional que está há anos na mesma posição e empresa, por exemplo, provavelmente não ganha valores compatíveis com o mercado. Os quartis ajudam, então, a não contabilizar esse salário-base. É exatamente por isso que eles são tão importantes: para evitar que alguns dados estejam muito discrepantes daquilo que pode ser considerado “normal”. 

Média ou mediana: qual utilizar?

Por mais que as terminologias sejam parecidas, os conceitos são bastante diferentes. A média é, como o próprio nome diz, a média aritmética de um conjunto de números. É somar três variáveis e dividir por três; é somar 60 variáveis e dividir por 60. Já a mediana é um valor numérico que separa a metade superior de um conjunto da metade inferior.

Em estatística, é comum que se utilize as duas métricas. Quando os dados a serem comparados são uniformes, a média pode ser usada com segurança. Agora, se o conjunto numérico for discrepante, o recomendado é usar a mediana. Como na área da Remuneração há várias situações que acabam destoando das demais, a mediana acaba sendo a métrica mais usada.

Para explicar melhor, imagine que você esteja calculando o salário-base de um cargo e encontre, em uma coleta de 100 amostras, um milionário. Se você optar por calcular a média de salário desse cargo, somando todos os dados amostrais e dividindo por 100, a média vai ficar muito alta e distorcer a pesquisa por causa de um único dado. Se usar a mediana, apenas encontrará o ponto central das amostras e irá desconsiderar os extremos.

Então a dica é usar a mediana sempre que estiver lidando com dados com risco de distorção (que tenham amostras muito baixas ou muito altas). A estatística não é tão complicada: nem sempre estamos falando sobre fazer contas e, sim, sobre posicionamento amostral.

Se você quiser saber mais sobre o assunto e, assim, evitar cair em armadilhas, confira a 18ª edição do ConsultAqui! Lá também explicamos outros métodos de amostragem disponíveis na ConsultaSalarial®!

6 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carreira Muller

Somos uma consultoria especialista em gestão de remuneração que, há a quase 3 décadas, trabalha para desenvolver pessoas e negócios.

Acompanhe-nos

Confira também outros artigos

Separamos mais algumas leituras relacionadas com a publicação acima para você
se aprofundar ainda mais nos conteúdos de remuneração.

Solicite seu Diagnóstico

Preencha os campos abaixo para solicitar seu diagnóstico

Fique tranquilo que seus dados estão seguros conforme nossa política de privacidade, frente a Lei de Proteção de dados.

Solicite uma demonstração

Preencha os campos abaixo para solicitar sua demonstração

Fique tranquilo que seus dados estão seguros conforme nossa política de privacidade, frente a Lei de Proteção de dados.

Fale com um consultor

Será um grande prazer retornar sua solicitação!

Fique tranquilo que seus dados estão seguros conforme nossa política de privacidade, frente a Lei de Proteção de dados.

ConsultaSalarial®

SalaryMark®

Acesse nossas plataformas

Acesse nossa área de cursos

Acesse agora o Astrobee