Estudo de PJ, estatutários e expatriados 2021 - Carreira Muller

SER PJ, CLT, freelancer ou estatutário?

Com as mudanças e novas possibilidades de contratação, muitas dúvidas recaem sobre o RH: quando optar por um ou outro modelo? Quanto pagar? Quais os riscos? Este estudo vai te apresentar dados e insights sobre o tema!

Quais respostas encontrarei neste estudo?

– Quanto a mais se paga e em quais situações?
– Como calcular o custo da empresa?
– Vale a pena para o colaborador?
– A empresa corre riscos?
– Quais as vantagens em utilizar este tipo de mão de obra?
– Como o mercado está agindo?
– Como lidar com questões de maturidade e legislação?

Contratação de PJs é muito comum!

Cerca de 71% das empresas pesquisadas possuem profissionais PJ em suas estruturas, sendo que a maioria está concentrada nos níveis de Especialistas/Consultores, Gerentes e Diretores, respectivamente.

External image

Existem diferenças entre os modelos PJ e CLT. Você sabe quais são?

O que mais o estudo apresenta sobre contratações de PJ?

– Como calcular o custo (para empresa?
– Restrições
– Benefícios
– Políticas de bônus
– Quem cuida dos contratos?
– Qual a base de pagamento?
– Como evitar reclamações trabalhistas?
– Quanto um PJ recebe a mais que eu CLT?
– Guidelines para te ajudar a remunerar

Shiftkey image

Um overview da presença dos freelancers

Cerca de 83,33% das empresas pesquisadas não contratam freelancers para determinados cargos ou serviço. Já 16,67% dizem contratar para suprir as necessidades e demandas.

O que mais o estudo apresenta sobre contratações de freelancers?

– Quem cuida dos contratos?
– Objetivos não atingidos, o que fazer?

Quais as diferenças entre diretor CLT e estatutário?

O que mais o estudo apresenta sobre contratações de estatutários?

– Práticas de mercado
– Recolhimento de FGTS
– Bônus e benefícios
– Quanto um estatutário recebe a mais que um CLT?

Compreenda melhor sobre o assunto, assista o nosso estudo comentado!

Assista à apresentação do conteúdo, com comentários técnicos de João Resch, gerente da área de Pesquisa, e Rogério Alves, consultor de remuneração.