Como você está lidando com a crise e planejando a retomada?

Fizemos um estudo especial para compreender o movimento de mercado neste período. Aqui, apresentamos alguns dados e análises deste conteúdo. Confira!

Quanto tempo você tem?

Em nosso estudo, levantamos a prevalência de dos 12 tipos de benefícios mais comuns nas empresas. Confira, ao lado, quais são os cinco mais frequentes

10min

Nós preparamos um resumo do estudo para você!

30min

Com esse tempo, você pode ler o estudo completo.

1 hora ou mais

Assista o estudo completo e confira os comentários do nosso especialista.

Três palavras-chave definem nosso estudo. Claro que todos os outros dados de economia e administração da crise são importantes, mas é momento também de chamarmos atenção para esses pilares, que têm ajudado as empresas a manter e reajustar o foco:

Cooperação

72%0

Das empresas pesquisadas não fizeram nenhum desligamento, apesar de cerca de 16% deste total prever demissões, as empresas estão tentando ao máximo evita-las.

Solidariedade

60%0

Mesmo com o impacto no faturamento, essa é a porcentagem de empresas que decidiram fazer algo para ajudar, doando máscaras, álcool em gel, materiais para produção de EPIs e alimentos para hospitais e comunidades carentes

Propósito

63%0

Estão com os times de RH focados as saúde, bem-estar e segurança dos colaboradores

Shiftkey image

''Neste cenário carente de líderes que inspirem segurança, gostaria de chamar a atenção para a necessidade de, como profissionais de Recursos Humanos, coordenarmos as ações de .enfrentamento da crise, reforçando a relação de confiança entre a empresa e os trabalhadores. Isso é importante para garantir a manutenção do espírito de cooperação, essencial para a continuidade das operações, especialmente num cenário em que boa parte dos trabalhos e das comunicações se darão de forma remota.''

João Resch – Gerente de Pesquisa

Lidando com a Crise

Queda nos faturamentos

Os maiores registros de queda foram nos setores de:

– Bens de Consumo (vestuário, cosméticos, bebidas, alimentos não essenciais)

– Autoindústria e Autopeças

– Serviços (turismo/hotelaria, mercado financeiro, consultorias, concessionárias, hospitais)

– Siderurgias e Metalurgias.

71%0

Das empresas pesquisadas apontaram queda de 25% a 50%

A maioria das empresas evitou os desligamentos

Apesar dos números de queda no faturamento, cuidar dos colaboradores, neste momento de calamidade, tem sido o foco das empresas.

Um exemplo disso é o movimento #naodemita, através do qual mais de 3.700 empresas assumiram o compromisso de manter os empregos por pelo menos dois meses.

  • Não foram feitos e não pretendemos fazer (57%)
  • Não foram feitos, mas estão previstos (16%)
  • Foram desligados até 10% dos colaboradores (16%)
  • Foram desligados de 11% e 20% dos colaboradores (8%)
  • Foram desligados de 21% e 30% dos colaboradores (2%)

Muitas adaptações foram necessárias

Dentre elas, podemos destacar as medidas propostas pela MP 927

– Teletrabalho
– Antecipação de férias individuais
– Concessão de férias coletivas
– Antecipação de feriados
– Banco de horas
– Suspensão das exigências administrativas em segurança e saúde do trabalho
– Direcionamento do trabalhador para qualificação
– Diferimento dor recolhimento do FGTS

Além dessas, ainda existem as as alterações propostas pela MP936, quanto à redução redução de jornada e Suspensão temporária do contrato de trabalho

A saída foi...
Home Office

  • Não implantaram home office (3%)
  • Implantaram para todos os colaboradores (14%)
  • Implantaram para parte das áreas (77%)
  • Implantaram para colaboradores do grupo de risco (6%)
Será que algumas adaptações precisaram ser feitas nomodelo praticado pelas empresas?

Planejando a retomada

Ter um RH multidisciplinar nunca fez tanto sentido

Como não poderia ser diferente, o principal foco do RH tem sido a saúde de seus colaboradores e a definição das ações necessárias para a retomada. Além dos itens acima, o RH tem se concentrado em:

– Comunicação e disponibilidade de informações
– Avaliação e implantação novos modelos de trabalho
– Revisão e digitalização de processos e políticas
– Alinhamento estratégico com o negócio
– Reduções de custo e planejamento financeiro
– Dimensionamento da força de trabalho
– Implantação de treinamentos online
– Desenvolvimento de líderes (gestão a distância)

Confira ao lado quais tópicos tem sido o foco do RH

63% - Segurança e saúde dos colaboradores
63% - Segurança e saúde dos colaboradores
17% - Plano de retomada ao trabalho
17% - Plano de retomada ao trabalho
12% - Manter engajamento dos funcionários
12% - Manter engajamento dos funcionários
5% - Mantes empregos
5% - Mantes empregos
3% - Ainda não há planos definidos
3% - Ainda não há planos definidos

Top 3 medidas planejadas para retomada ao local de trabalho

Máscaras

93%0

Higiene

92%0

EPI’S

81%0

O estudo completo tem mais informações sobre:

LIDANDO COM A CRISE:

– Interrupção das operações
– Formação de comitês
– Áreas de maior impacto e faturamento
– Adoção das Medidas Provisórias
– Processos seletivos
– Ajuste nos benefícios
– Home Office
– Medidas de saúde
– Treinamentos
– Controle de Jornada
– Engajamento

PLANEJANDO A RETOMADA:

– Revisão de ações do RH
– Redução de quadro de colaboradores
– Medidas para retomada ao local de trabalho
– Aprendizados

Quais projetos anteriores à crise estão ajudando o RH hoje?

Algumas ações que as empresas já haviam tomado antes da COVID-19 ajudaram a lidar com o novo cenário.

Em alguns casos, este pode ter sido, inclusive, um grande diferencial na gestão da crise.

– Manutenção de Comitês de Risco e Crise / Planos de Contingência
– Planejamento e equilíbrio financeiro
– Estar preparado para Home Office e Flexi Time
– Investimento em tecnologia, transformação digital e automatização
– Equipes de Saúde e Segurança do trabalho preparadas
– Transparência dos resultados e estratégias da empresa
– Comunicação rápida e assertiva
– Agilidade de processos
– Conhecimento prévio do mercado/consumidor
– Investimentos em treinamentos de gestão
– Horizontalização e descentralização da comunicação
– Times multidisciplinares

Shiftkey image

Talvez essa coisa de ''sobreviver'' às experiências é o que faz com que esses momentos de mudanças sejam tão marcantes nas nossas vidas. Depois de algum tempo a gente nem lembra de como vivíamos antes. Eu gosto de pensar que isso tem um propósito: nos fazer melhores. Melhores como profissionais, como pais, amigos, seres humanos. É como se esse chacoalhão viesse para nos realinhar, para usarmos com mais sabedoria nosso tempo e nossos recursos.

Robinson Carreira – Diretor-presidente da Carreira Muller

Webinar
Reajustando o foco

Confira o webinar completo do estudo, com comentários e análises do nosso Gerente de Pesquisa, João Resch!