plano-de-cargos-e-salarios, remuneracao

Conheça as melhores práticas para criar nomenclaturas de cargos

Durante os projetos, é muito comum escutarmos dúvidas com relação às nomenclaturas de cargos.

Qual a diferença entre um Ajudante e um Auxiliar? Qual dos dois vem primeiro? O Ajudante é assistente do Auxiliar? Qual a diferença entre o Assistente e o Assessor? Um Assessor pode crescer para um Assistente ou vice-versa? – essas são as mais comuns.

É preciso muito cuidado ao criar nomenclaturas, porque elas precisam ser facilmente entendidas pelos colaboradores e, ao mesmo tempo, estar conectadas com as boas práticas do mercado.

Pensando em orientar melhor a criação de nomenclaturas de cargos, selecionei algumas recomendações que enviamos aos clientes e que podem ser úteis para você também!

Veja:

  1. Com certeza, utilizar nomenclaturas que já existem no mercado é o melhor dos cenários. Mas fique atento, porque nem sempre esses nomes podem fazer sentido para a sua empresa. Seguir a tendência e utilizar uma nomenclatura que dificulte a identificação da posição dentro da organização não é interessante.
  2. Procure harmonizar as nomenclaturas entre as áreas e unidades da sua empresa. Assegure-se que funções iguais possuam a mesma nomenclatura de cargo.
  3. Adote nomes facilmente identificáveis, evitando, quando possível, o uso de palavras estrangeiras, siglas internas e denominações pouco descritivas (como é o caso de “Assessor” ou “Ajudante”).
  4. Aplique uma certa padronização interna. Evite aplicar títulos preferidos por pessoas contratadas ou gestores.
  5. Cuidado ao adotar nomenclaturas específicas em algumas áreas e genéricas em outra. Aqui, vale ainda a dica anterior, prefira seguir padrões.
  6. As nomenclaturas devem refletir os principais focos da posição, mas cuidado para não transformar o nome do cargo em uma descrição. Exemplo: Coordenador Produção, Manutenção, PCP e Facilities.
De maneira geral, nomear cargos de forma mais assertiva e eficaz e importantíssimo para o negócio.

Podemos destacar algumas áreas importantes que são impactadas por essa atividade:

Engajamento: a escolha do título de cargo correto impacta na sensação de reconhecimento e engajamento. Sabemos que o nome das posições tem ligação também com a impressão causada pelo cargo. Não adianta, a maioria das estruturas trabalha com hierarquia e as nomenclaturas têm certo valor emocional.

Carreira: é importante padronizar as nomenclaturas para organizar a gestão dos cargos e para comunicar melhor as possibilidades de carreira. Uma vez que a empresa possui os nomes certos para cargos como Analista Junior, Pleno e Sênior, fica mais fácil para o colaborador “se encontrar” na estrutura e trilhar um pano de crescimento. Além do mais, é mais fácil comunicar um Plano quando a casa está organizada.

Por outro lado, pessoas não são propriedades da empresa. É bom pensar também no bem que se faz ao colaborador, dando um nome correto à função que ele desempenha hoje, porque pode ser que, um dia, ele não esteja mais na sua empresa e precise se recolocar no mercado. Com as nomenclaturas de cargo corretas no currículo, isso fica mais fácil.

Comparação com mercado: usar as nomenclaturas corretas facilita a conexão da empresa com mercado, ou seja, fica mais fácil encontrar referências e analisar seu posicionamento, se há uma definição clara, objetiva e padroniza dos nomes dos cargos.

Para saber mais sobre nossa metodologia de Plano de Cargos e Salários, o SalaryMark®, clique aqui. 

Camila Minamide
Consultora de Remuneração