RH: adaptar-se é preciso!

Como o RH pode ser um agente motivador da equipe de vendas?
15/09/2016
O RH administrando pessoas
03/10/2016

RH, Consuma a quantia certa de informações diárias

Pagamos contas pelo celular, montamos roteiros de viagem sem sair de casa, nos conectamos com pessoas que nunca veremos pessoalmente, combinamos com milhares de estranhos uma manifestação em prol da política nacional, acompanhamos nosso histórico de saúde por meio de apps, caçamos “Pokémon”, buscamos ser felizes e desejamos satisfação (pessoal e profissionalmente) e lidamos com frustrações diárias que por vezes nos impedem de seguir em frente. Ufa! Muita coisa mudou ao longo dos anos e acompanhar as novas tendências é uma tarefa bastante árdua!

Adapte-se

No cenário corporativo, há uma tendência natural por acompanhá-las e também incorporá-las. Inovações cada vez mais rápidas desafiam os profissionais e as empresas. Ao mesmo tempo, o capital humano está se tornando mais conectado e mais exigente, o que reflete nas relações entre pessoas no ambiente corporativo. E para acompanhar essas transições, a palavra de ordem é adaptação. No entanto, adaptação nos dias de hoje significa adquirir uma capacidade de seleção de tudo o que é gerado. Bom, o segredo para selecionar, dentre todo esse “frenesi” de novidade, está na criação de um bom filtro. Adaptar-se passa por essa etapa, afinal, se você tentar assimilar tudo o que recebe é possível que não aprenda nada, que tenha milhares de ideias, mas que nenhuma saia do papel, ou seja, que não vá a lugar nenhum.

Como formar o meu filtro?

A pergunta mais importante, com certeza. Há novidades tecnológicas que podem aprimorar sua maneira de trabalhar: imagine aqui desde apps que tragam notícias da sua área até outras ferramentas com soluções, além de cursos, conteúdos, enfim, um universo de opções. Isso é bom, ajuda no desenvolvimento da carreira que escolheu. Há também novidades que podem aprimorar seus processos, agregando à rentabilidade da empresa.

Nesse segundo caso, considerando o objetivo maior das organizações que é ter lucro, eis o momento em que suas sugestões serão muito bem-vindas. Portanto, seu filtro pode ter algumas perguntas: Pensando nessa tecnologia que tem muitas associações com meu negócio, levando em conta que vale investir meu tempo no descobrimento dela, quanto dessa associação pode trazer vantagens financeiras à organização? Consigo medir isso? Quanto dessa pesquisa e absorção desse conteúdo poderá agregar à minha vida e à minha carreira profissional? Três boas perguntas que aprimorarão a utilização do seu tempo na pesca das melhores informações, criando um sentido na sua adaptação.

Considerando, portanto, a questão da adaptação, até mesmo as perguntas que estamos sugerindo aqui podem não ser as suas. Se você questionou isso, também já é algo muito válido. Mas saiba que é necessário que na proposta de adaptação se tenha perguntas (filtros), caso contrário sua construção de conhecimento se torna lenta – quase nula –, sua capacidade de entrega se estabiliza e sua capacidade de inovar desaparece. O mundo oferece a capacidade de se consumir uma infinidade de coisas que no frigir dos ovos só roubam o seu tempo e nada deixam. Adaptar-se a isso é que será o grande desafio.

Bons filtros. Boas perguntas!

Carreira Muller | Construindo Sentidos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Assine a nossa newsletter

X