Bônus ou PLR: o que é melhor para a sua empresa?

Acordo coletivo de trabalho: o quê fazer?
16/09/2013
Benefícios eficazes: o que é mais adequado para seu público?
25/09/2013

Há diversos mecanismos para recompensar, incentivar e motivar talentos dentro das empresas. Algumas oferecem benefícios diferentes como academia, day spa e até bolsa auxílio educação. No entanto, a grande maioria tem como preferência a distribuição de prêmios em dinheiro para recompensar metas ou resultados atingidos. Usando para isso o Bônus ou PLR (Participação nos Lucros e Resultados).

O Bônus, geralmente, é concedido aos cargos executivos e potenciais, podendo ser derivado de uma porcentagem do salário anual ou de múltiplos salários nominais, variando em função dos resultados e performance individual. Entretanto, ele quase sempre vem atrelado a encargos trabalhistas e previdenciários, além da tributação do Imposto de Renda.

Já a PLR precisa de homologação do sindicato, orçamento e gestores para comandar a negociação. Uma vez que a concessão de recompensas por meio de PLR for definida, ela deve ser estendida a todos os funcionários, mesmo que os valores finais sejam diferentes.

Ao contrário do Bônus, a PLR não tem tributação de encargos trabalhistas e previdenciários para a empresa. Para os funcionários, o Imposto de Renda que incide no benefício vai depender do montante recebido. Até R$ 6 mil, o valor não é tributado e, acima disso, segue uma tabela progressiva. A Medida Provisória n° 597, que entrou em vigor em janeiro de 2013, trata dessa questão.

Portanto, para escolher a melhor opção para a empresa é preciso levar em conta as metas exigidas, individuais e coletivas, as pessoas elegíveis para receber o dinheiro extra, os valores e os descontos tributários. Uma vez decidido o incentivo, é só partir para o planejamento e implantação.

1 Comentário

  1. casquette obey

    Merci pour cet article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Assine a nossa newsletter

X