A influência do inglês para o crescimento da carreira em RH

Curso da Carreira Muller é destaque em portal de Santa Catarina
11/08/2014
Quais os principais motivos para trocar de emprego?
21/08/2014

O domínio da língua inglesa é requerido para diversos cargos de diferentes áreas, principalmente em empresas multinacionais. Para algumas, essa habilidade já nem é considerada um diferencial atualmente. Mas e no setor de RH, como está a proficiência dos profissionais no idioma e qual a importância de dominá-lo para o crescimento na carreira?

De acordo com uma pesquisa realizada pela Carreira Muller, 53% dos entrevistados que atuam na área possuem nível avançado, fluente ou total domínio do idioma. Esse levantamento, que teve como objetivo identificar a personalidade de marca da empresa no mercado, dedicou um espaço para estudar o perfil dos profissionais de RH. A amostra foi composta de 60% de pessoas que trabalham em empresas de origem estrangeira e 40% em nacionais.

Um dado interessante em relação à pesquisa mostra que entre aqueles que trabalham em empresas multinacionais 74,19% falam inglês, já entre os que atuam em companhias nacionais o número é de apenas 26,32%. Essas informações são indicadores de que realmente existe uma demanda pelo segundo idioma dentro das empresas, principalmente de origem estrangeira.

Realizando uma comparação por cargos, verifica-se que entre os analistas os fluentes são 14%; entre coordenadores, 16% e entre os gestores, 20%. Isso mostra a necessidade cada vez maior do idioma para assumir cargos de mais responsabilidade, principalmente ligados à gestão.

Portanto, o inglês é um diferencial para o crescimento da carreira no RH.

“O RH está cada vez mais global e muitas decisões importantes que envolvem o setor precisam ser tomadas em conjunto com a matriz, o que faz o domínio da língua inglesa essencial. Além disso, saber se comunicar neste idioma também pode ser fundamental para consolidar RH como algo estratégico dentro da organização”, ressalta o gestor de marcas da Carreira Muller, Emerson Costa.

Um bom exemplo

Há 19 anos no grupo MAHLE, empresa fabricante de autopeças e soluções automotivas, Regiani Crochi trabalha desde 1995 na área de Recursos Humanos da companhia e nos últimos 7 anos tem atuado como consultora de Recursos Humanos com foco em remuneração, estrutura organizacional e desenvolvimento de carreira de especialistas do grupo no país. Ela tem fluência em inglês, idioma que estuda desde os 15 anos de idade e não parou até hoje. Sempre buscou se aperfeiçoar através de aulas particulares e cursos de imersão oferecidos no Brasil.

A MAHLE é de origem alemã, com sua matriz sediada na cidade de Stuttgart, e possui filiais em diversos países como Estados Unidos, Inglaterra, Áustria, Argentina, China, Índia, entre outros. Sempre que existe a necessidade de interação entre estas unidades, por motivo de reuniões, conferências ou visitas, o inglês é a língua adotada pela companhia em todas estas ocasiões. “Já precisei me comunicar em inglês em várias situações, como reuniões na matriz e também aqui no Brasil durante a visita de executivos estrangeiros”, explica Regiani.

De acordo com ela, quando iniciou seu trabalho no RH da empresa o idioma já era necessário, mas não integrava os pré-requisitos da vaga. No entanto, nos últimos anos a necessidade de dominá-lo aumentou, sendo exigido para diversas funções.

“Percebo que quem não consegue se comunicar em inglês deve correr atrás do prejuízo para aprender em razão da demanda do mercado. Falar o idioma inglês hoje pode ser considerado como diferencial para o crescimento em várias carreiras e o mesmo ocorre na área de Recursos Humanos. Já observei pessoas muito bem qualificadas perderem a oportunidade de participar de projetos globais e até mesmo de viagens internacionais por não possuírem esta competência”, comenta a profissional.

Portanto, de acordo com Regiani e como podemos observar nos resultados da pesquisa elaborada pela Carreira Muller, o uso do idioma inglês é fundamental para a atuação no setor de RH, principalmente se ele quer ser estratégico e embasar decisões importantes da empresa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Assine a nossa newsletter

X