DISC: conheça a origem da metodologia de análise de perfis

Business Partner: ele é importante para a sua empresa!
13/06/2017
Descubra como a final da NBA pode te ajudar a reavaliar a estrutura de sua empresa
29/06/2017

Sabemos que a teoria DISC é uma grande aliada do RH para as avaliações de perfis profissionais, mas você conhece a origem dessa metodologia? 

No início dos anos 20, o psicólogo americano, William Moulton Marston, demonstrou certo interesse em voltar seus estudos para o comportamento das “pessoas normais”. Antigamente, era comum que as pesquisas estivessem focadas apenas naqueles com alguma patologia. Foi assim que, por meio do seu livro ‘Emoções das pessoas normais’, ele revelou uma de suas principais criações: a metodologia DISC. Mas, para entender um pouco mais sobre isso, vamos voltar no tempo…

 

Empédocles, filósofo grego pré-socrático, afirmou, em        444 A.C., que todas as coisas da natureza eram formadas por quatro substâncias: terra, ar, água e fogo. Analisando as singularidades desses elementos, ele reconheceu que as pessoas também eram diferentes e que a personalidade delas poderia ser impactada por componentes externos.

 

Alguns anos depois, em 400 A.C., o médico grego, Hipócrates, reconheceu a linha de seu antecessor mas adicionou que a personalidade também era impactada por fluídos internos, de onde nasceu a noção dos quatros temperamentos: colérico, sanguíneo, fleumático e melancólico.

 

E assim, voltamos a Marston, que captou essas percepções para desenvolver a sua metodologia DISC.

Essa teoria reconhece quatro tipos de personalidade: Dominante, Influente, Estável e Complacente. Hoje, a ferramenta auxilia nos processos seletivos, na organização de grupos de trabalho, orientação profissional, mentoria, coaching, dá suporte aos programas de desenvolvimento comportamental e às avaliações de promoção.

 

Mas o que o perfil comportamental do colaborador tem a ver com o bom desempenho da função que está exercendo?

Ao longo do tempo, essa metodologia tem se mostrado extremamente importante para que profissionais e organizações encontrem o seu ‘match’. Ou seja, quando o combo de habilidades técnicas e estilo comportamental são compatíveis, o resultado é o ganho de produtividade e um trabalhador mais feliz!

Para se ter uma ideia, a teoria de Marston se tornou uma das metodologias mais utilizadas por empresas de todo o mundo para avaliar perfis psicológicos de funcionários e candidatos a um emprego.

Entender como um candidato reage ao ambiente, como ele se relaciona com as pessoas ou como ele é motivado, poderá ser determinante para o sucesso da organização e também para a ascensão profissional deste colaborador, já que, segundo a Teoria DISC, todas as pessoas têm potencial para o sucesso, mas as chances de alcançá-lo também dependerão da adequação da atividade aos perfis comportamentais.

Avaliar as características técnicas e as reações dos profissionais ajuda a evitar gastos desnecessários e perda de talentos.

Quer saber mais sobre a ferramenta? Então, é só clicar aqui!

 

Em nosso blog, nós temos mais dois textos sobre DISC. Clique nos links abaixo e confira:

   

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Assine a nossa newsletter

X