Hiring bônus: ferramenta de atração e retenção de talentos

Remuneração é tema de workshop para gestores de RH em Marília
27/05/2014
A promoção do RH como setor estratégico nas empresas
03/06/2014

Quando se encontra um profissional que cabe perfeitamente à vaga que está sendo oferecida é preciso agir rápido para contratá-lo e oferecer condições para que ele permaneça na empresa pelo maior tempo possível. Mas em um mercado cada vez mais carente de profissionais que atendam às expectativas das organizações, a disputa pelos bons candidatos é acirrada. Por isso, muitos departamentos de recursos humanos têm utilizado o artifício dos bônus para chamar a atenção destes talentos. O ‘hiring bônus’ é uma das estratégias de atração e retenção utilizadas.

A prática, muito utilizada para cargos de altos executivos, consiste no pagamento de uma quantia em dinheiro que a empresa oferece ao empregado antes da contratação. O objetivo com isso é garantir que ele não aceite proposta de outra empresa, ou seja, é um fator de atração. Muitas organizações que praticam o hiring bônus aos recém-contratados exigem como moeda de troca que eles permaneçam durante determinado período na instituição. Esse tempo de permanência varia de dois a três anos, ou pode ser negociado caso a caso.

Esse acordo entre funcionário e empresa não tem valor legal, pois não existe nenhuma lei que obrigue o colaborador a continuar trabalhando contra a sua vontade. No entanto, a prática, que já é bastante comum no mercado, funciona na maioria dos casos. Sendo assim, além de atrair o candidato em um momento inicial, também garante sua permanência, agindo como ferramenta de retenção.

O hiring bônus pode ser pago separadamente, de modo que não incida sobre ele encargos trabalhistas.

Essa forma de conceder o benefício é utilizada pela maioria das empresas. No entanto, também existem aquelas que optam por registrar o bônus por meio da folha de pagamento, portanto o valor é tributado. A escolha de como agir nessas situações depende da política de cada empresa. Não existe certo ou errado.

Muitas vezes, conceder esse benefício é essencial na contratação de um cargo chave, pois os salários dos executivos são altos e não costumam variar muito, comparando um mesmo segmento e região. Por esse motivo, o hiring bônus deve ser pensado de forma estratégica por cada empresa, ponderando o gasto a mais e os benefícios que se pode ter com ele.

 

 

2 Comentários

  1. Henrique Rabelo disse:

    Então por analogia podemos considerar o Hiring Bonus como um depósito Caução ou como “Luvas”?

    • Emerson Correia Costa disse:

      Exatamente. Essa analogia, aliás, explica muito bem.

      Emerson Costa
      Executivo de Negócios
      Carreira Muller

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Assine a nossa newsletter

X