Felicidade no trabalho: mais do que uma questão salarial

Jovens gestores e a (falta de) maturidade
25/10/2013
A empresa, os sindicatos e a folha de pagamento de 2014
04/11/2013

O que faz você feliz? Cada vez mais há a certeza de que não é somente de um bom salário que depende a felicidade dos colaboradores de uma empresa.

Um estudo realizado pelo Atêlie de Pesquisa Internacional para mapear a felicidade em relação ao trabalho mostrou alguns dados interessantes. O dinheiro é sim um fator que se sobrepõe aos outros (78%). Mas que a possibilidade de se relacionar com outras pessoas (49%) e em equipe (41%) também afeta o lado emotivo no ambiente de trabalho, podendo trazer mais felicidade.

O resultado mostra que o clima organizacional precisa ser levado em consideração, tanto quanto salário e benefícios. Através de uma consultoria individual com os colaboradores, é possível mapear o que agrada ou não na empresa, quais aspectos melhorar e quais mudanças podem ser feitas para integrar melhor a equipe.

Como 68% dos entrevistados disseram que felicidade e motivação andam juntas no trabalho, não se deve deixar de lado um plano de carreira que detalhe bem os degraus que podem ser galgados para atingir a satisfação profissional. Mas, claro, é preciso saber se o perfil da pessoa se relaciona com o cargo, se ela está apta para ele e se é o que deseja. Identificar o perfil dos colaboradores é uma saída para analisar essas questões e embasar a montagem de equipes mais direcionadas.

E se dizem que gentileza gera gentileza, pode-se dizer que a felicidade gera felicidade. A pesquisa apontou que para 57%, trabalhar mais de 8 horas é motivo de satisfação, que gera produtividade, que gera lucro e que deixa os empresários mais felizes.

1 Comentário

  1. Flavia disse:

    Gostei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Assine a nossa newsletter

X