Conheça as principais práticas das refeições diárias das empresas no país

Cesta Básica ou Cartão Alimentação: qual a melhor opção para as empresas?
19/05/2015
Como o RH deve construir sentido na empresa
03/06/2015

Ao contrário do que boa parte da população acredita, oferecer alimentação aos colaboradores não é algo obrigatório por lei. De acordo com a norma, conforme o seu número de funcionários, as empresas poderão escolher entre não oferecer nenhum benefício, conceder algum tipo de vale, ou ainda ter um refeitório nas suas dependências.

No entanto, embora não haja previsão legal sobre isso, a maioria dos empregadores brasileiros hoje concede esse benefício e, com isso, acaba obtendo importantes vantagens tanto para a saúde produtiva da empresa, pois garante uma maior satisfação de seus profissionais, quanto para a sustentabilidade econômica da sua companhia, na medida em que ela receberá incentivos fiscais do governo.

No país, este benefício usualmente é concedido de duas maneiras: por meio de refeições realizadas em refeitórios dentro das empresas ou por cartão refeição. Um estudo realizado pela Carreira Muller com 820 empresas nacionais e multinacionais que atuam em todo o território nacional traz as principais práticas, valores e descontos para as refeições diárias no Brasil.

 

CARTÃO / TÍQUETE REFEIÇÃO

São os cartões ou vales para pagamento de refeições em restaurantes. Eles são interessantes porque permitem que os colaboradores tenham bastante liberdade para encontrar, no entorno da empresa, variedades de restaurantes, bares e outros estabelecimentos para se alimentar na hora do almoço, do jantar, ou em outro período de intervalo obrigatório.

Uma grande vantagem para as companhias é que, para estimular a adesão das empresas para o fornecimento de refeição aos profissionais, há incentivos fiscais regulados pelo governo para a grande maioria desses tipos de vales. Além disso, não há atribuições de encargos sociais sobre o benefício, pois não são atributos salariais sob a forma de pagamento em moeda.

Prestadores

Quando questionadas sobre quais são as principais operadoras de meios de pagamento para refeição, a maioria das empresas apontam a Alelo (37%), seguida da Ticket (34%) e Sodexo (24%).

Valor

Segundo os dados apresentados pelo estudo, a média nacional dos valores pagos diariamente para a principal refeição é de R$24,47.

Desconto

Algumas empresas optam por não oferecer gratuitamente o vale-refeição, ou seja, há um desconto do salário do trabalhador. A média de desconto entre as empresas que participaram do estudo foi de 16%.

 

REFEIÇÕES INTERNAS

São as refeições servidas na própria empresa por meio de administração própria ou terceirização.

Para estarem em conformidade com a legislação trabalhista, as empresas com mais de 300 funcionários são obrigadas a ter um refeitório interno. Ainda que seja uma obrigação apenas dessas companhias de maior porte, a prática não está restrita a elas, tendo em vista que há hoje no Brasil empresas que optam por ter um espaço para oferecer essas refeições.  Entre as vantagens desse formato estão evitar a dispersão dos funcionários nos intervalos para alimentação, diminuir os atrasos nesses horários e o tempo para o retorno do colaborador costuma ser menor.

Outra vantagem é que os profissionais podem comer reunidos, o que colabora para uma maior integração entre eles.

Prestadores:

Entre as empresas pesquisadas, os 3 principais prestadores de serviço de refeições internas são: 23% Sodexo, 17% Sapore e 13% GR.

Valor

A média do custo unitário da refeição principal oferecida pelas empresas participantes é de R$9,91 (não considerando itens adicionais como desjejum, lanches ou opções de upgrade).

Desconto

11% é o desconto médio praticado hoje pelas companhias que possuem refeitório interno.

 

Clique e saiba mais sobre o estudo.

 

Carreira Muller | Construindo Sentidos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Assine a nossa newsletter

X