Carreira Y: Como a experiência do técnico Rogério Ceni te ajudará a entender essa tendência

Engajamento: a força da gravidade que a sua empresa precisa para prosperar
19/07/2017
Temperamento e personalidade: você sabe a diferença?
03/08/2017

Já ouviu falar em Carreira Y? Nesse post, para exemplificar esse conceito, aproveitamos a história de um grande ídolo do São Paulo, mas já falamos sobre o assunto em outras publicações do blog. Fique à vontade para navegar por aqui e vamos aprender mais juntos!

Foi na 11ª rodada do Campeonato Brasileiro que Rogério Ceni vivenciou a sua pior derrota dentro do clube. Após perder para o Flamengo por 2 x 0, o tricolor paulista, conhecido por acumular vitórias, – muitas delas graças ao excelente desempenho do ex-goleiro – caiu posições na tabela e entrou na zona de rebaixamento. Há seis meses como técnico do São Paulo, Ceni não conseguiu repetir fora de campo o ótimo desempenho que teve dentro dele. Rogério Ceni foi demitido.

Não dá para negar sua trajetória de sucesso como jogador: são títulos, gols, mais de 20 anos na mesma empresa e a posição cativa de capitão. Quem olha esse currículo, dificilmente imaginaria que ele ainda não estava pronto para subir mais um degrau de sua carreira e abandonar a camisa 1 para assumir a figura de técnico. Mas, no mundo dos negócios, o resultado é fator predominante.

Ainda que Ceni tivesse sido um ótimo jogador, ele não foi um excelente técnico e, por isso, perdeu o emprego. Isso também acontece nas empresas fora do gramado: nem sempre um ótimo especialista será um ótimo gestor. Diferente do que acontecia décadas atrás, quando o sucesso da carreira era definido pelas promoções alcançadas verticalmente e os cargos de liderança eram os mais almejados, hoje, é preciso compreender que nem sempre o profissional deseja ou está preparado para um cargo de gestão.

Como alternativa para esse novo cenário, as empresas passaram a adotar a chamada Carreira em Y, que nada mais é do que uma estratégia das companhias que buscam explorar as potencialidades do time de acordo com o perfil de cada funcionário através de dois caminhos, o de gestão e o técnico.

É cada vez mais importante que as organizações e os profissionais de RH ajustem o olhar no que diz respeito ao desenvolvimento de carreira. Pense nisso: dentro da sua empresa você conta com colaboradores de diferentes perfis. Alguns são mais técnicos, outros mais líderes e ainda existem aqueles que querem exercer uma posição de liderança, mas com as atribuições de um especialista ou coordenador técnico. Absorver esses três perfis e criar uma trilha de carreira que os atendam, é fundamental para que a equipe exerça seu melhor desempenho. Mas, para isso, as áreas de Recursos Humanos precisam se organizar de forma sistêmica, e não apenas oferecer promoções de cargo como alternativa para acalmar a pressão.

Na Carreira em Y existe a possibilidade de líderes técnicos, que são aqueles profissionais-referência nas áreas em que atuam, mas que também apoiam o direcionamento e o desenvolvimento dos colaboradores que estão abaixo deles.

Trata-se, portanto, de uma flexibilização da trilha de carreira, mas que só funcionará se o profissional receber apoio da empresa na execução de algumas competências comportamentais necessárias ao exercício da liderança, como feedback e gestão de relacionamentos.

Ceni parecia estar no caminho certo: foi um ótimo goleiro, mas também soube inovar ao ser um dos principais batedores de bola parada; desempenhou seu papel de líder como capitão do time; e resolveu assumir o risco ao se tornar técnico de futebol. Mas, por mais que ele dominasse o conhecimento técnico dentro do gramado, ainda era preciso que sua carreira lhe oferecesse mais aprendizado e preparo para assumir a posição de treinador. Talvez tenha faltado ao São Paulo, como empresa, criar uma linha de formação interna capaz de garantir um líder mais preparado e que, aliado ao seu conhecimento técnico, também conseguisse reconhecer as habilidades do seu time.

Quando o colaborador tem conhecimento do seu perfil natural, a empresa tem uma trilha de carreira bem estruturada e ambos estão alinhados com a cultura da organização, fica mais fácil escalar um time de alta performance e marcar o gol.

Será que já não está na hora de colocar o placar da sua empresa a seu favor? Entre em contato conosco!

Receba nossos materiais e publicações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Assine a nossa newsletter

X