Ação propõe levar os pais ao trabalho. O que a empresa ganha com isso?

Mobilidade é tendência no mundo do trabalho
12/11/2014
Ano difícil, segundo previsões, 2015 exigirá criatividade do RH
27/11/2014

A influência da família na carreira é algo que acontece desde muito cedo com o investimento em educação. Afinal, matricular os filhos em uma boa escola, inscrevê-los em cursos de idiomas e proporcionar atividades como balé e judô não serve apenas para preencher o tempo livre. Todas essas atividades têm o potencial de desenvolver habilidades úteis para o crescimento no trabalho.

Mas, com o passar dos anos, as pessoas fazem suas próprias escolhas e o caminho do trabalho se desvincula da família. Pensando em reaproximar os pais da vida profissional de seus filhos, a rede social Linkedin, voltada para o mundo corporativo, criou o “Dia de Levar os Pais ao Trabalho” que aconteceu no último dia 6 de novembro em diversas partes do mundo.

O intuito da iniciativa é proporcionar aos pais que conheçam mais sobre a rotina de trabalho de seus filhos, suas atividades, responsabilidades e seu cotidiano. A ação foi lançada em 2013 depois que uma pesquisa mostrou que mais de um em cada três pais não conheciam ao certo a profissão dos filhos.

A pesquisa deste ano traz ainda outros dados interessantes sobre a influência da família no trabalho. Quase 70% dos pais brasileiros, por exemplo, consideram que impactaram diretamente na carreira dos filhos e os principais motivos apontados por ele são: apoio financeiro na educação (65%), conselhos profissionais (58%) e moradia (50%).

Quando essa ação foi realizada pela primeira vez contou com a participação de 15 mil pessoas em 14 países. Este ano, já são 16 nações ao redor do mundo quem participaram da ação, o que mostra o interesse das empresas neste tipo de iniciativa. O setor de Recursos Humanos é fundamental e o propulsor da adoção deste tipo de política dentro da empresa.

Apesar de não proporcionar ganhos financeiros aos colaboradores, ações deste tipo têm potencial para melhorar sua qualidade de vida e identificação com a empresa. E fazer com que ele se sinta bem com o local onde trabalha é um fator determinante para sua permanência dentro da organização.

Ações não convencionais podem ser muito úteis para a retenção de talentos e devem ser consideradas pelo RH.

Que tal inserir ideias inovadoras no planejamento de 2015? Elas podem render bons frutos para a empresa e para os colaboradores.

 

Carreira Muller | Construindo Sentidos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Assine a nossa newsletter

X